Como Realizar a Contribuição da Previdência Social Sendo Autônomo

Trabalhadores que possuem carteira assinada sabem que o valor do INSS é descontado de forma mensal de sua folha de pagamento de forma automática pelo seu empregador o poupando de toda a parte burocrática do sistema.

Não é atoa que a grande maioria dos brasileiros não sabem realizar o pagamento do INSS por conta própria, mas saiba que isso não é um impedimento para que autônomos realizem o pagamento da taxa.

Trabalhadores autônomos são aqueles que exercem alguma atividade profissional por própria conta ou realizam a prestação de serviços a terceiros de forma direta como diarista, vendedor, pedreiros, cabeleireiro, entre muitas outras profissões, e isso não os impede de realizar o pagamento do FGTS e assegurar sua aposentadoria.

Mas para isso, é preciso fazer a inscrição para assegurar sua aposentadoria, o cadastro deve ser realizado junto o INSS como contribuinte individual.

Pode até parecer um pouco complicado realizar o pagamento do INSS como autônomo sem saber por onde começar, mas podemos dizer que isso vale muito a pena!

E é por isso que nós do CrediFácil Brasil separamos para vocês um passo a passo bem detalhado de como realizar o pagamento do INSS como autônomo por contra própria, confira!

PASSO 1

Faça Sua Inscrição no NIT ou PIS

Para realizar a inscrição de contribuição ao INSS é preciso que você já possua cadastro no PIS ou NIT.

Pois é a partir desses registros que você é identificado para que inicie o acesso aos benefícios sociais.

Caso nunca tenha trabalhado antes com carteira assinada, você deverá realizar a inscrição na condição de afiliado junto a Previdência Social. O cadastro é rápido e muito simples de ser realizado, podendo este ser realizado por meio de um celular ou computador com acesso a internet.

Existe, porém uma única exigência, que você tenha uma idade igual ou superior a 16 anos para que consiga realizar o cadastro, além nisso no ato da inscrição é preciso escolher a opção de Contribuinte Individual junto da atividade exercida.

Para realizar o cadastro do PIS ou do NIT você deverá utilizar um dos recursos listados a seguir:

Lembrando que, não é preciso realizar o envio de documentos pessoais para os funcionários da Previdência Social, apenas informa os seus dados de forma correta.

Caso você já tenha trabalhado (mesmo que a muito tempo) com carteira assinada e contribuído para a Previdência Social, saiba que você já possui um cadastro ativo de PIS.

O Programa de Integração Social (PIS) é fundamental para que o trabalhador possa ter suas contribuições recolhidas por seu empregador.

Como Ver O Número Do Meu PIS?

É normal se esquecer o número do PIS depois de ficar desempregado, afinal não é uma numeração que se utiliza cotidianamente, porém verifica-lo é mais fácil do que você pode imaginar.

Existem N maneiras de descobrir o número do PIS, nós separamos algumas delas pra você:

Carteira de Trabalho

Você pode verificar o número do seu PIS por meio de sua carteira de trabalho, lá você encontra a numeração localizada abaixo do campo PIS/PASEP.

O número do registro do PIS é composto por uma sequência numérica de dez a onze dígitos que fica registrado em negrito no início da página.

Porém, caso a sua carteira de trabalho seja antiga, você poderá encontrar essa numeração na parte de “Anotações Gerais” que fica entre as últimas páginas de sua carteira de trabalho.

Cartão Cidadão

O cartão cidadão é utilizado como forma de acesso direto do trabalhador a seus benefícios sejam eles sociais ou trabalhistas.

Pelo cartão é possível consultar o saldo do FGTS, o valor do seguro desemprego, o valor de rendimento do PIS, entre outras funções.

Por isso o número do PIS é apresentado na frente do próprio cartão.

Acessando o Site

Uma outra opção para verificar o número do PIS é por meio do acesso ao site DATAPREV.

Ao acesso o site, você deverá clicar em inscrição e em seguida, escolha a opção Filiado. Feito isso você precisa apenas apresentar a numeração de alguns os seus dados pessoais como RG e CPF, data de nascimento e o nome completo sem abreviações, para que a consulta seja realizada.

Essa é uma excelente alternativa para quem não possui o cartão cidadão ou não tem a carteira de trabalho em mãos.

Ligando para a Caixa Econômica Federal ou Atendimento da Previdência

Se você se sente mais seguro por meio do contato direto com um funcionário, você poderá ligar para o número da Previdência Social, a central de atendimento do órgão pode ser acessada por meio do telefone: 135.

A opção para o atendimento que deseja deverá ser a opção de número 05, para ter acesso a um atendente que lhe auxilie sobre o número do PIS.

Outra forma de conseguir a numeração é por meio do contato com a Caixa Econômica pelo telefone: 0800 726 0207.

PASSO 2

Escolhendo O Tipo De Contribuição Que Mais Combina Com Você

Depois de realizar o cadastro no Programa de Integração Social (PIS), chegou a hora de escolher a categoria de contribuição que você deseja se encaixar.

Pessoas autônomas devem escolher a opção de “Contribuinte Individual”, porém, existem muitas outras formas de contribuição.

Os diferentes modelos de contribuição, recebem diferentes códigos para pagamento onde você deverá realizar o preenchimento de uma Guia da Previdência Social (GPS).

Cada opção varia de valor de contribuição, ou seja, você poderá optar por pagar um valor maior ou um valor menor, mas lembre-se que o valor pago está diretamente relacionado a seus direitos e condições de aposentadoria.

A seguir a equipe do CrediFácil Brasil separou algumas das principais características para os principais modelos de contribuição:

1007 – Contribuinte individual com recolhimento mensal

Esse é o modelo mais escolhido entre os trabalhadores no Brasil. Por meio desse código é possível acessar ao direito de aposentadoria por idade ou tempo de contribuição.

O valor a ser pago por essa categoria é de 20% do salário mínimo ou dos seus rendimentos mensais.

É estipulado atualmente pelo INSS o pagamento de 20% de no máximo R$ 4.663,75.

1104 – Contribuinte individual com recolhimento trimestral

O código 1004 possui características bem parecidas com o código anterior (1007), ou seja, também assegura ao contribuinte o direito de aposentadoria por idade ou por tempo de contribuição.

A única diferença aqui, é que o recolhimento seja de 20% do salário mínimo ou 20% de sua renda, é recolhido de forma trimestral e não mensal.

1163 – Contribuinte individual com recolhimento mensal

Com essa modalidade de contribuição ao INSS a alíquota corresponde a 11% do salário mínimo vigente para a categoria de serviço.

Apesar de ser menos custoso ao bolso do que as duas modalidades anteriores (modelo 1004 e modelo 1007), com esse código você somente terá acesso a aposentadoria pelo fator de idade.

1180 – Contribuinte individual com recolhimento trimestral

Assim como o modelo apresentado anteriormente, esse código não oferece ao contribuinte o direito de aposentadoria por tempo de contribuição, o sistema permite apenas a aposentadoria por idade.

A alíquota também corresponde a 11% ao mês, mas ao invés do recolhimento mensal, esse código permite que o recolhimento seja realizado a cada três meses.

1287 – Contribuinte individual rural com recolhimento mensal

O código trabalhado nessa sessão é voltado para trabalhadores rurais autônomos, sendo as características desse código muito parecidas com as condições do modelo 1007.

A contribuição para o INSS, conta com uma alíquota de 20% sobre o salário de contribuição, sendo que com essa modalidade é possível se aposentar seja por idade seja por tempo de contribuição.

1236 – Contribuinte individual rural com recolhimento mensal

Assim como o código anterior, essa modalidade de contribuição é destinada para trabalhadores rurais que se encaixam no padrão de autônomo.

Porém, a diferença entre essa modalidade e a anterior é a forma de pagamento da alíquota, esse código diferente do anterior conta com um pagamento de 11% de alíquota mensal que assegura a aposentadoria somente por idade.

Como Posso Escolher O Modelo De Contribuição Ideal?

A maior e mais marcante diferença entre os planos apresentados são as condições de aposentadoria, onde um se pode aposentar por idade ou tempo de contribuição, enquanto outro só se permite aposentadoria por idade.

Os códigos 1007, 1104 e 1287 asseguram ao trabalhador a aposentadoria por tempo de contribuição ou por idade, em contrapartida as modalidades 1163, 1180 e 1236 oferecem o direito de aposentadoria apenas por idade.

O código mais utilizado pelos trabalhadores brasileiros autônomos é o 1007 com alíquota mensal de 20%, porém apesar do valor a ser contribuído seja maior do que as demais modalidades, essa oferece ao trabalhador a oportunidade de aposentadoria por duas vias, tornando-se assim uma das categorias mais vantajosas.

O valor de contribuição não é fixo, ou seja, esse irá aumentar de forma proporcional de acordo com sua renda, porém por essa modalidade você tem acesso a todos os benefícios da previdência social.

Atualmente o teto máximo para contribuição é de 20% de até R$ 4.663,75, o que significa que ainda que você obtenha um salário maior do que esse, não é preciso contribuir de forma proporcional a ele.

PASSO 3

Como Preencher De Forma Correta O GPS

Após escolher a modalidade de contribuição que melhor se encaixa em seus planos, é hora de realizar o preenchimento da Guia da Previdência Social (GPS) para que possa iniciar o recolhimento do INSS.

A guia pode ser gerada por meio do site oficial da Previdência ou por meio do aplicativo para celular que dá acesso ao internet banking.

Ambas as formas de solicitação são realizadas de forma digital, por meio de um aparelho com acesso a internet, porém para aqueles que preferem “à moda antiga” é possível realizar a comora da guia em uma casa lotérica ou estabelecimentos autorizados, onde a guia deverá ser preenchida de forma manual.

É fundamental o preenchimento correto dos campos da guia da Previdência, principalmente se a forma escolhida para preenchimento for a manual.

Os campos de preenchimento da GPS são extremamente importantes para que o pagamento seja identificado e assim possa ser efetuado de forma correra de acordo com sua escolha de contribuição.

Erros no preenchimento da guia como o colocar o número errado do código de contribuição, poderá acarretar a problemas futuros, por isso atente-se sempre a todos os detalhes.

Passo A Passo De Como Realizar O Preenchimento Da GPS

Site oficial da Previdência Social

Se optar pelo preenchimento da guia por meio do site oficial da Previdência Social é fundamental que o contribuinte identifique qual o modelo de contribuição deseja obter e que melhor se adeque a seu dia a dia.

Feito isso, é preciso apresentar o número de cadastro no INSS, PIS ou NIT.

Antes de dar continuidade ao preenchimento, verifique se as informações apresentadas estão corretas, atente-se a numeração apresentada para que não tenha problemas futuros.

Após a certificação de que os dados foram digitados de forma correta, sem erros, confirme então os demais dados da página.

Com a verificação completa, você poderá prosseguir com sua solicitação, onde será direcionado a página de preenchimento da Guia da Previdência Social onde deverá preencher os seguintes campos:

  • Competência
  • Salário de contribuição
  • Código de pagamento (os códigos apresentados no tópico anterior)
  • Dados de pagamento

No campo competência é preciso que você informa o mês a que se refere sua contribuição, como por exemplo 01/2019 (Janeiro de 2019), 06/2019 (Junho de 2019) e assim por diante.

Já no campo de salário de contribuição, você deverá digitar o valor de rua renda mensal para que seja realizado o cálculo da alíquota de contribuição.

Por fim, você deverá preencher com o modelo de contribuição que deseja aderir (código), a data de pagamento do carnê e realizar a impressão da guia.

Preenchendo O Carnê Manual

Previdencia Social
Carne Manuel da Previdência Social

A Guia da Previdência Social pode ser aderida em bancas de jornais, lotéricas e papelarias. O valor da guia tende a variar de R$ 2 a R$ 6 reais, dependendo do estabelecimento.

O carnê deverá ser preenchido de forma manual e por isso exige uma atenção dobrada, pois as informações apresentadas nessa guia, serão as utilizadas para que o pagamento mensal das parcelas seja realizado.

É fundamental manter o carnê guardado em uma pasta ou em um local que tenha risco de extravio, mesmo após realizar o pagamento, pois isso é uma prova de que você realmente contribuiu com a Previdência Social.

Guardar as guias de contribuição evitam que você seja prejudicado caso ocorra algum problema no sistema na hora de dar baixa sobre sua contribuição ou o tempo em que realizou o pagamento.

Para preencher o carnê, é preciso seguir os seguintes passos:

1 – Nome ou Razão Social – Fone – Endereço

Neste campo você deverá realizar o preenchimento do seu nome completo, sem abreviações, ou em caso de você se categorizar como MEI, poderá colocar o nome de sua razão social.

O endereço deverá ser preenchido de forma completa contendo rua, bairro onde reside, CEP, cidade e estado.

Por fim nesse primeiro campo, você deverá apresentar o seu número de telefone com DDD, o número apresentado poderá ser de um telefone fixo, um telefone celular ou ambos.

2- Data de Vencimento

A data de vencimento da contribuição do INSS é sempre correspondente ao dia 15 do mês subsequente ao de solicitação.

Por exemplo, se você solicitou a guia no mês de fevereiro, o pagamento deverá ser realizado no dia 15 de março, o próximo pagamento será no dia 15 de abril e assim por diante.

3 – Código de Pagamento

O código de pagamento corresponde ao modelo de contribuição que foi escolhida pelo trabalhador.

O mais comum dentre os códigos é o 1007 que corresponde a alíquota de 20% sobre o salário mínimo ou renda mensal, oferecendo o direito a aposentadoria por dois fatores, seja por idade ou tempo de contribuição.

4 – Competência

Nessa etapa você deverá preencher com o mês referente ao pagamento de sua contribuição.

Por exemplo, se você optar por realizar o pagamento sobre o mês de janeiro, deverá preencher com 01/ano, já se a contribuição for referente ao mês de março, deverá preencher com 03/ano e assim por diante.

Não confunda o mês de referência com a data de vencimento, a data de vencimento que ocorrerá no dia 15 de cada mês é referente ao mês de contribuição, sendo assim se deseja contribuir em janeiro, o pagamento da guia de janeiro vencerá no dia 15 de fevereiro, se deseja contribuir em fevereiro, a guia vencerá no dia 15 de março e assim sucessivamente.

5 – Identificador

O número solicitado nessa etapa é o seu número de identificação no cadastro da Previdência Social, podendo este ser o PIS, NIT, PASEP ou algum outro número que se classifique como uma identificação para a previdência.

Realize o preenchimento dessa numeração com atenção e cuidado, afinal esse número é o responsável por indicar a quem o valor pago se destina, qualquer número escrito errado nessa etapa, poderá direcionar o benefício a outra pessoa.

6 – Valor do INSS

Este campo se refere ao valor pago de fato para a contribuição.

O valor pode variar de acordo com o modelo de contribuição escolhido por você, podendo esse ser com base em uma alíquota de 20% ou 11% do salário mínimo vigente.

Sempre verifique o valor do salário mínimo atual, pois este poderá sofrer alterações de forma anual.

7 – 8 – 9

Aqui o preenchimento não deverá ser realizado se você efetuou o pagamento até a data de vencimento.

10 – Multa e Juros

Apenas realize o preenchimento dessa etapa caso tenha realizado o pagamento da guia com atraso, ou seja, após o dia de vencimento (15).

Os campos 7, 8 e 9, devem ser deixados em branco, porém caso tenha realizado o pagamento em atraso, o preenchimento deve ser realizado dentro das condições aplicadas.

11 – Total

Nesse espaço o preenchimento deverá ser correspondente ao valor total de contribuição.

Se o pagamento for realizado até a data de vencimento que é o dia 15 de cada mês, você deverá repetir aqui o mesmo valor colocado no campo 06.

Porém, se realizou o pagamento em atraso, deverá colocar o valor acrescido das taxas e juros aplicados, ou seja, deverá somar: valor de contribuição + taxas + juros.

12 – Autenticação Bancária

Esse espaço não deve ser preenchido por você, pois aqui é o espaço reservado ao banco ou lotérica onde você realizou o pagamento para o preenchimento com os dados do pagamento para comprovação da quitação da guia.

O pagamento online apesar de muito eficiente e rápido, não é indicado nesse caso, apesar de ser possível realizar.

A contraindicação advém do fato de que com o pagamento online esse espaço fica em branco, dificultando assim a comprovação do pagamento.

PASSO 4

Procure Pagar A Guia GPS Antes Da Data De Vencimento

Após realizar os devidos preenchimentos corretos na Guia da Previdência Social, você deverá comparecer em um banco ou casa lotérica para realizar o pagamento de sua contribuição.

O vencimento das guias se dará sempre no dia 15 de cada mês ao que se segue a adesão.

Mais uma vez, se você requerer o pagamento da guia do mês de julho, o vencimento se dará no dia 15 do mês de agosto.

Em casos de vencimentos que caiam em finais de semana ou feriados, o vencimento se estende até o próximo dia útil.

Como podemos verificar anteriormente nos modelos de código, o contribuinte tem a opção de pagamentos mensais ou trimestrais ao INSS.

A contribuição mensal é realizada todos os 12 meses, já a contribuição trimestral se dá o recolhimento a cada 3 meses com pagamento de 4 vezes ao ano.

Esse foi o passo a passo de como realizar a contribuição ao INSS mesmo sendo autônomo e assegurar a aposentadoria.

Leia também:

Você Sabe Como Declarar Imposto de Renda?

Seguro INSS Para Pescadores

Depois desse artigo realizar a contribuição por conta própria nem parece tão difícil assim né?

Deixa pra gente a sua opinião nos comentários e se tiver alguma dúvida ou algo a acrescentar em nosso texto, coloca aí pra gente e compartilha com a galera 😊

Informações Para Contato, Telefone e Endereço

Endereço da Matriz do INSS – Instituto Nacional do Seguro Social fica: 10º, SAUS S/N BL O – Asa Sul, DF, 70070-946

Telefone: Atendimento ao publico 135 funciona de segunda-feira a sábado, das 8 horas às 23 horas ou 0800 728 0191 horário de atendimento: 7:00 horas às 22:00 horas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.